Arquivo da tag: percurso

Planejamento e Longo para Meia de Curitiba

No último domingo nos reunimos em frente ao museu do olho para um treino longo de reconhecimento do percurso da Meia de Curitiba. A ideia era sentir o clima largando no mesmo horário da prova e fazer o trajeto quase completo da prova (a programação previa 17km em ritmo moderado). Ao invés de largar sentido bairro, largamos sentido centro, cortando os 3 km’s iniciais da prova e mais alguns trechos no meio do percurso.

Sequem algumas fotos do treino e depoimentos do pessoal sobre o trajeto e a preparação, com dicas do Prof. Gustavo de como planejar sua prova. Segundo ele “o percurso ficou mais fácil que de 2012, principalmente o final, com uma subida longa, mas leve, e terminando com descida e plano. Entre o km 9 e 16 a prova é praticamente plana e com descidas, pra quem vai pro ‘racha’ é o momento de forçar o ritmo”.

Presentes no longo, Anderson e Patrícia comentaram sobre o treinão!
“Pudemos avaliar o nível de dificuldade do trajeto. Isso será muito importante a medida que sabendo dos detalhes do percurso, poderemos traçar uma estratégia realista a ser seguida no dia da prova. Além disso, serviu também como um motivador, pois avaliei o percurso como sendo de dificuldade moderada, com subidas leves e descidas convidativas a estabelecer recordes pessoais.” disse o Anderson, que vai em busca do sub 1h40, podendo chegar quem sabe até num sub 1h35! A Pati comentou que achou “o percurso tranquilo, as descidas que temos a partir da rua R. Bruno Filgueira até a entrada no viaduto Capanema é a hora de tomar um fôlego, ou se tiver fôlego, descer a lenha pra diminuir o tempo”. Ela ressaltou que a expectativa pra prova é grande, e que será necessário dormir bem, cuidar da alimentação e seguir o planejamento!

Faltam 9 dias para a Meia Maratona de Curitiba!!!!! Está preparado? Já programou sua prova, veja a seguir algumas dicas.

É necessário que você analise sua situação, se está com a planilha em dia, desempenho nos treinos longos realizados, etc., não adianta pensar numa meta impossível. Lembre-se que é uma Meia Maratona, ou seja, 21,1 km!! Não é como uma prova de 5km ou 10km.

Quais seus objetivos para a prova? Completar, treinar, bater meu recorde, aniquilar meu recorde.
Escolhido o objetivo analise as variáveis, e não se deixe levar pelo ritmo dos outros corredores.
– Completar: iniciar cerca de 30 segundos a mais por km do seu pace de 10km, ou seja, se você faz os 10km a 5:00min/km (50min), deverá iniciar a prova mais leve, cerca de 5:30 e ir dosando o ritmo de acordo com seu cansaço. Se for pra forçar deixe para os últimos 3 kms.
– Treinar: determine um pace de acordo com suas últimas provas ou longos e tente segui-lo a prova toda.
– Bater recorde: trace ritmos esperados para cada 5km da prova, verifique a altimetria e em quanto tempo você teria que fazer cada trecho de 5km para bater seu recorde.
– Aniquilar recorde: cuidado, você precisa conhecer bem seu ritmo e suas condições físicas, pois neste caso o risco de quebrar é grande e pode atrapalhar tudo. Trace uma estratégia de km em km, considerando as subidas e descidas, tente poupar um pouco mais no início da prova e tentar guardar forças para o final.

O Prof. Gustavo fala agora sobre a estratégia dele para a Meia de Curitiba.
Recorde atual na distância: 1h34m27 (pace de 4:28 min/km)
Objetivo: aniquilar recorde -> previsto 1h29m30 (pace de 4:14 min/km)
Tática para a prova: Variada (Zig Zag ou intervalada), a cada 1 ou 2 km variar bruscamente o ritmo. “Tentarei fazer uma variação de ritmo a cada quilômetro tendo como base os ritmos de 4:30 e 4:00. Se conseguir manter essa variação durante toda a prova o resultado será dentro do previsto” afirma ele.

E quem venha a Meia!!!!! Boa sorte à todos!! Dos 21k, Anderson, Caverna, Cristela, Cristiano, Daniel, Fran, Prof. Gui, Prof. Gustavo, Luizz, Pati, Levi e Thomas. Do reveza, Elisa, Malu, Mari, Hilma, Bruno, Karine, Leo, Lucas, David e Luiz H!!!! Vai Gcincooo!!

Percurso SMELJ 1ª Etapa 2013

Vamos a um passo a passo, ou km a km, da primeira etapa do Circuito SMELJ de Corridas de Rua.
Deixe um comentário pré-prova com a previsão de tempo para a etapa! *lembrem-se que tem 10,3km.

Segundo os organizadores o percurso será idêntico ao utilizado na prova de 2012, com estruturas, largada e chegada no 3 Marias Clube de Campo, em Santa Felicidade. A largada acontece na Av. Três Marias, bem em frente ao portal do clube, rua asfaltada, e já na saída uma subidinha de uns 100m (muito cuidado com as lombadas e as tartarugas que dividem as faixas do asfalto).

e1_percurso_foto1

Após a subida, virando a primeira à direita é o momento de acelerar um pouco e aproveitar o embalo da descida que vai até os 400m de prova mais ou menos. Daí até o final do primeiro km subida leve, com pequenas variações de altimetria na virada à esquerda na Antônio Escorsin, leve descida e leve subida, e pegando à direita na José Rubens de Lima.

e1_percurso_foto2

Pequena subida no início da rua, e depois outra boa descida de uns 500m, começando a subir e descer de leve até virar a esquerda da Rua Elis Regina (cuidado com as lombadas e buracos nessas ruas), mantendo o percurso plano e com leve subida, completando o 2º KM. O início do segundo km é um trecho difícil da prova, pegando a direita na r. Hermenegildo Luca os corredores se deparam com uma bela subida de aprox 500m e boa inclinação, que termina na virada à direita na r. Brasílio Cuman, dando pra recuperar um pouco com leve descida, e no final do KM leve subida e descida novamente (cuidado com as lombadas e tartarugas novamente). Curva fechada à esquerda e os corredores entram na Rua Ângelo Massignan (para quem vai nos 5km aqui será a divisão, ao invés de virar a esquerda os corredores seguirão reto na Brasílio Cuman), mais uma subidinha, e um bom trecho plano até o final do KM, contornando as ruas Antônio Braga e João Volpe pra virar a direita na Estrada Ângelo Pianara, que começa com uma subidinha legal pra quebrar o ritmo, momento de poupar um pouco e aproveitar a descida que vem logo na sequência.

e1_percurso_foto3
e1_percurso_foto4

Virando a direita na Rua Acelino Grande, trecho de descida leve e constante (praticamente até o km 6), pegando a esquerda na r. Professor Francisco Zardo, passando em frente ao Trieste Stadium. É o momento de manter o ritmo e a concentração. O retorno é pela Toaldo Túlio com variação leve/moderada, mais descendo até o 7 e mais subindo até o km 9, e descendo até completar os 10,3km da prova dentro do clube. Do 8,5 até o 10,3 é o momento de forçar, se estiver bem aperta o passo e vai que o final está próximo. Os 300m finais é descida e plano dentro do clube, Keep Running!!

e1_percurso_foto5

Gostou? Compartilhe! Te ajudou na prova? Deixe seu comentário.

Resultado 7ª Corrida de Revezamento Entre Parques Curitiba

Ontem o dia foi de muita festa. 7/abril de 2013, chegou o momento do Reveza Entre Parques, prova que movimenta Curitiba toda e é sempre muito aguardada pelos corredores. A organização é da SMELJ, e sempre feita com muito profissionalismo e seriedade.

O espírito de equipe e de companheirismo que se cria nesta prova é muito bom! A adrenalina de ficar à espera do companheiro, a vibração dos “adversários” a cada troca de atleta, muita festa mesmo, e cada um tentando dar o seu melhor em prol do grupo, para juntos percorrem mais de 23km!! Um desafio e tanto!

Galera G5 presente com 3 equipes fez a festa também!! Confira os resultados:
Colocação Cat. – Nomes – Equipe – Tempo – Ritmo
62 – MALU/HILMA/NAIARA/MARIANA – G5 ESPORTES VERDE/ROSA – 02:35:32 02:34:51 – 06:40
33 – DANIEL/GUILHERME/LUIZ/JILLIARDY – G5 ESPORTES #KEEP RUNNING – 01:46:08 01:45:46 – 04:33
3 – CRISTIANO/GUSTAVO/CRISTELA/PATRICIA – G5 ESPORTES #KEEP FASTER – 01:40:49 01:40:46 – 04:20

Confira a classificação geral, com parciais de cada trecho: Clique Aqui

Resultados Gerais
Duplas Feminino:
1 – CRISTIANE /KELISSIANDRA – HP SPORTS POWERADE – 01:53:39 01:53:31 – 04:53
2 – KATIUZA DE /HALLYNE BERGAMIN – ARS RUNNING 06 – 01:54:53 01:54:20 – 04:55
3 – ANDREA DA /MARCIA DE – CORREDORAS DA CORPUS – 02:00:39 02:00:15 – 05:10

Dupla Masculino:
1 – CARLOS ALBERTO /ANTONIO DOS – MAXIPAS-CIA ATHETICA – 01:22:15 01:22:14 – 03:32
2 – JOEL LENART/JULIO NETO – SUPERMERCADO JACOMAR – 01:22:30 01:22:29 – 03:33
3 – CHRISTIANO /JOSE ALVES – SUPERMERCADO JACOMAR – 01:23:43 01:23:41 – 03:36

Dupla Mista:
1 – MOACIR MOREIRA /ELIETE DE – ARS RUNNING 08 – 01:42:40 01:42:36 – 04:25
2 – ANA PAULA /JOAO CARLOS – V8 ASSESSORIA ESPORT – 01:44:26 01:44:22 – 04:29
3 – JOELSON LIMA /LUCINEIA – ARS RUNNING 07 – 01:50:43 01:50:22 – 04:45

Quarteto Feminino:
1 – PRISCILLA/LUCIANA/JAQUELINE/ – DIONE PERFORMANCE/PR – 01:36:47 01:36:41 – 04:09
2 – VERA/ELISANGELA/SIMONE/RENATA – CORRA MAIS KM – 01:40:24 01:40:20 – 04:19
3 – DANIELE/NEREUSA/LUCIA/MARIA – ARS RUNNING 10 – 01:48:25 01:48:19 – 04:39

Quarteto Masculino:
1 – ALLISON/GILIALDO/WILLIAN/MATHEUS – CORRA MAIS KM – 01:15:16 01:15:15 – 03:14
2 – MARCOS/ANDRE/ALEXANDRO/ERNAN – CAPIS-SPORTS – 01:18:02 01:18:01 – 03:21
3 – ELTON/DIEGO/LUIS/FRANCO – CAPIS-SPORTS – 01:26:46 01:26:44 – 03:43

Quarteto Misto:
1 – FABIO/CARLA/VITOR/ALEXSANDRO – V8 ASSESSORIA ESPORT – 01:33:20 01:33:18 – 04:01
2 – LAUDEMIR/JULIANE/DIOGO/RENATO – ARS RUNNING 09 – 01:33:43 01:33:41 – 04:01
3 – CRISTIANO/GUSTAVO/CRISTELA/PATRICIA – G5 ESPORTES #KEEP FASTER – 01:40:49 01:40:46 – 04:20

Confira as fotos:

O relato: Mountain Do Atacama 2013

Já acompanhamos a entrevista e todas as informações do Mountain Do, Deserto do Atacama, Chile.

Entrevista pré prova com a Pati;

Mountain Do – A prova;

Confira agora o relato da nossa aluna Cristela, de como foi a prova, as dificuldades, desafios e a superação:
“Depois de 8 meses de espera e treinos, finalmente chegou 14 de março de 2013, dia de embarcar com destino ao Atacama. Na espera do voo para Santiago era inevitável prestar atenção nas pessoas, todas no ambiente tentando achar corredores com o mesmo destino. De Santiago a Calama o nascer do sol nos Andes nos dá boas vindas da janela do avião.”

Como foi a adaptação antes da prova?
“A adaptação em San Pedro teve que ser rápida. Sofremos com o ar seco. Tinha a sensação de queimação por dentro do nariz. Saia bastante secreção com sangue e isso atrapalhava na respiração, foi difícil e ficou aquele medo que no dia da prova pudesse acontecer novamente. Foi ideal a chegada lá alguns dias antes.”

E a Prova?
“Domingo 17 de março, acordamos cedo e fomos para a praça central de San Pedro nos aquecer e preparar para a largada. Dificuldade para fixar o numeral de peito que era muito grande. A largada foi dada as 7:30h para os 23 e 42 km. Temperatura agradável. Seguimos por asfalto até o km 5, onde entramos em uma estrada de chão batido com um pouco de pedregulho, os maratonistas seguiram em frente e os 23 km logo pegaram uma trilha a direita, em direção ao vale da lua. Nesse trecho inicial aproveitamos para correr com um pouco mais de velocidade, mas sem exagerar pois o percurso ainda era longo e desconhecido. Um ponto de hidratação no km 8 marcava o fim da tranquilidade. Subimos um trecho bastante íngreme, literalmente “escalaminhando”. Por recomendação da organização da prova, todos subiram caminhando esse trecho. Vencendo a subida inicial continuamos por trilhas com subidas e descidas e muitas pedras, até nos depararmos com uma trilha estreita em meio aos montes de pedras cobertas por sal. Paisagem incrível, não sabia se eu corria, se tirava foto, filmava ou cuidada pra não me machucar nas pedras. Na seguida começou minha maior dificuldade, o terreno: areia grossa e fofa. O pé afundava muito e precisava de muita força para correr. Distante, avistávamos um obstáculo já esperado, a duna.
Atacama 04

Vencida a duna eu achava que meus problemas tinham acabado, engano. O deserto nos reservou uma montanha russa, um sobe desce por “morrinhos” com pedregulhos soltos. Era um tal de embala na descida para subir o próximo. Nessa hora eu já me sentia bem cansada e a Patricia foi um pouco na frente. Alcançando a Pati me queixei de uma bolha na ponta do dedo. Chegamos ao asfalto, km 15, onde havia um ponto de apoio resolvi verificar o pé. A Patricia fazendo mimica para pedir fita micropore para os enfermeiros chilenos foi a comédia. Nada de bolha, era só areia dentro do tênis e da meia, mesmo assim encapei o dedo com fita. Nesse ponto começamos a entrar no vale da morte, mais uma pequena subida que eu já não tinha forças de subir correndo.

Falo pra Patricia ir embora, pois ela estava muito bem fisicamente. Logo depois da subida ela vai, eu me animo e volto a correr, desço as primeiras ladeiras do Vale da morte uns 400 metros atrás dela, mas depois de algumas curvas já não a avistei mais. Agora sim, Vale da morte só descida, só que não!! Areia fofa novamente e algumas subidinhas que nessa altura pra mim já eram montanhas. O sol começa a esquentar um pouco, mas nada de sofrer com calor mesmo estando de camisa de manga longa e mochila nas costas. Aproximando-se do km 20, já havia pessoas no percurso esperando os amigos, tirando fotos e gritando os “tá acabando” de incentivo. Na linha de chegada tive que desviar de um cachorro deitado no tapete. O painel eletrônico não estava funcionando, mas o relógio de pulso marcava 2:53 de prova. Quase certo, tempo líquido oficial 02:52:50.”

E como foi o pós prova? Novos desafios virão?
“As 15:00h depois de almoçar e descançar voltamos para a Praça assitir a premiação. O resultado no mural descobrimos que tínhamos ficado em 4°(Patricia) e 5°(eu) na categoria SUB35. Ficamos revoltadas, pois depois de ter passado longe do objetivo de 2:30 de prova, não esperávamos uma colocação boa, e eu, não me esforcei pra tirar a atraso nos quilômetros finais. A Patricia por 2 minutos não leva um troféu de 3 na categoria. Conversamos com o terceira colocada e nossa revolta passou. Cada uma superou dificuldades e conquistou seu mérito. Na volta pra casa, os corredores são aplaudidos ao entrar no ônibus com destino a Calama, fiquei muito feliz, e no caminho, avistamos parte do percurso da prova, agora marcados com nossas pegadas.
Do Atacama trouxe uma grande experiência. Conhecemos muitas pessoas e muitas histórias. Voltei já pensando, qual vai ser a de 2014?”

Parabéns às guerreiras Patricia e Cristela por essa conquista!! E que venham novos desafios!! Keep Running.

Atacama 03

Atacama 02

Atacama 01

Atacama 00

mar_Atacama medalha

Mountain Do – Atacama 2013

Vai acontecer no próximo dia 17 de março, em San Pedro do Atacama, no Chile, a edição de uma das provas mais difíceis do mundo. O Mountain Do – Atacama 2013 terá distâncias de 6km, 23km e 42km, com percursos variados, passando por belas paisagens, dunas no deserto, vilarejos, etc.

A prova tem um lado turístico incrível, e um grande desafio para os participantes, um momento para se superar, colocar em prova a resistência, fôlego e a musculatura de todo o corpo.

Teremos a participação de duas alunas na prova! A Pati e a Cris estão se preparando desde novembro, o tempo passou rápido, foram muitos treinos, bastante esforço e dedicação, e em poucos dias é hora de mostrar muita garra e muito mais esforço!! Estaremos todos na torcida, afinal as maiores vitórias vem dos grandes desafios!

Preparação
A programação contou com controle de volume e intensidade, com uma periodização ondulatória, visando chegar no dia da prova 100%. Treinos com bastante variação de altimetria, em horários de bastante sol e calor, além dos longos, intervalados, coordenação e técnica. A maior dificuldade foi reproduzir o trecho de deserto com dunas, e algumas vezes o clima de Curitiba também não ajudou. No último sábado, 2.mar, um longo de 25km para testar o clima quente e seco, subidas longas e íngremes, hidratação, roupas, etc. Desta vez o clima ajudou, muito calor, percurso adequado, só faltou mesmo a areia. Agora é a fase de manutenção, e na semana da prova treinos leves, descanso e boa alimentação.

Desafios existem para serem conquistados!! Não há limites para um corpo bem preparado e uma mente tranquila! Foco na prova meninas, foco na estratégia, e aproveitem cada metro da prova, para que a conquista tenha mais sabor.

Confira o Percurso:
Mar_Mountain Do Percurso

Saída para o longo de 25km no Studio E-Natureza.
DSC03389ed