Arquivo da tag: treinos supervisionados

Minha Vida e a Corrida – com Anderson Duran

Confira a segunda edição da “Minha Vida e a Corrida”. Acompanhe depoimentos reais dos nossos alunos e quem sabe não se anima a começar a treinar?!
Anderson MM Rio Mafra
Nome: Anderson Duran
Apelido: Duran
Categoria: 30-34

Qual sua trajetória nas atividades físicas?
Desde criança sempre “pratiquei” muitos esportes, pois como não tinha videogame, a diversão era reunir os amigos e jogar aquele futebol no campo, na quadra, na rua, seja lá onde fosse. Sempre jogava no gol, acho que eu era muito ruim e me colocavam lá pra levar bolada, não lembro de ter escolhido ser goleiro. Também tinha bicicleta pra apostar corrida, mas eu sempre perdia. Gosto muito de tênis, mas sou muito ruim nesse esporte também, até parece que tenho dois braços esquerdos… rsrs. Pratico natação, mas só no estilo âncora livre. Nas “olimpíadas” do colégio, entrei no campeonato de xadrez e fui eliminado na primeira fase. Duas vezes. Já no ensino médio, fui colocado num campeonato pra correr 100m rasos. Gostaria de lembrar o tempo que eu fazia, mas eu sempre chegava em 4º. Mais recentemente, foram os campeonatos de futebol que tomaram conta da minha vida esportiva. Em um dos campeonatos de futebol de campo, chegamos a perder por 18×0, uma lavada. Num campeonato de futsal, perdemos 6 de 7 partidas. A outra partida, a que “vencemos”, foi porque a outra equipe não compareceu. Rs. Com um histórico esportivo nada animador como o que eu descrevi, fica explicado o porquê de eu não praticar, nem de graça, esportes como paraquedismo ou escalada. Vamos ver se com a corrida os resultados serão diferentes. Espero que sim!

E como começou a relação “você + corrida”?
A primeira vez que eu comecei a praticar corrida foi em 2011, mas não cheguei a disputar nenhuma prova. O objetivo era somente melhorar o condicionamento físico pra jogar futebol de campo nos campeonatos da empresa que eu trabalhava. Deu certo e cheguei a continuar correndo por um tempo por conta própria, mas sem objetivos não demorou muito pra parar.

Só que em julho de 2012, após uma fase bem turbulenta na vida pessoal e profissional, o que entre outras coisas me rendeu “uns quilinhos a mais” (pra ser mais exato, estava pesando 89Kg no alto dos meus 1,73m de altura), resolvi que voltaria a correr. Comentei então com minha namorada, a Elisa, que sugeriu que eu treinasse com a equipe do Gustavo, a G5 Esportes. Apesar de não fazer a menor ideia do que era treinar corrida de verdade, achei a ideia interessante e no dia 27 de junho de 2012, na Praça Oswaldo Cruz às 7h20 da madrugada, lá estava eu iniciando os treinamentos. Não preciso dizer o quanto gostei né, afinal, estou aqui até hoje. Hoje penso que a corrida sempre fará parte da minha vida, pois através dela melhorei minha qualidade de vida, conheci muita gente legal, superei obstáculos e criei metas ousadas, as quais estou trabalhando para alcançar.

Duran e Leo 2012

Quais suas maiores dificuldades no início dos treinamentos?
A primeira grande dificuldade foi acordar cedo. Os treinos às 7h20 da manhã me obrigaram a mudar meu estilo de vida, pois dormia muito tarde, às vezes além das 3h da madrugada. Mudança positiva, pois passei a dormir bem mais cedo pra conseguir chegar no horário do treino (ou próximo do horário hehehe).

A segunda grande dificuldade inicial foi meu peso na época, pois carregar 89Kg é muito mais difícil que os 71Kg atuais.

E o que mudou na sua vida nos últimos 12 meses por causa da corrida?
Quase tudo! Eu jogava futebol uma vez por semana, agora eu treino corrida cinco vezes por semana, além da melhora considerável na alimentação, na disposição para fazer as coisas e principalmente na auto-confiança.

O que a corrida representa hoje na sua vida?
Muitas vezes li por aí que “a maratona é a metáfora da vida” ou adaptado para “a corrida é a metáfora da vida” e eu acredito muito nisso. É possível ver a corrida sob a ótica de progredir, ir em frente. E com força de vontade, espírito guerreiro, assim como na vida, você progride e vence.

Quais os planos e objetivos para os próximos 12 meses?
O próximo objetivo é correr a Maratona de Foz do Iguaçu que realizar-se-á em 29/09/2013. Comecei esta semana (22/07) o ciclo para esta prova e estou bastante ansioso e confiante que dará tudo certo. Gostaria muito de correr esta prova pra 5min/Km (fechar perto de 3h30), vamos ver se consigo. Neste ano também tem a Maratona de Curitiba, na qual com certeza vou querer fazer um tempo melhor que o de Foz.

Ano que vem vou focar ainda mais em provas longas. Deixarei de lado algumas provas de 10Km ou menos para dar espaço aos treinos específicos para corridas longas. E talvez, se der tudo certo, a ideia é correr uma maratona fora do Brasil (a de Paris *-*).

Duran Paris

Qual foi sua primeira prova e o tempo?
A primeira foi a da Lua Cheia, nos 4,3 Km (ritmo de 5:26/km).

E a estreia nos 10km?
18/11/2012 – Prova de 10Km da Maratona de Curitiba – 00:48:22 – Pace 4:50 min/Km

Qual foi a última prova e o tempo?
* 30/06/2013 – Prova de 10Km Smelj 2ª Etapa – 00:44:22 – Pace 4:24 min/Km

Bate pronto
1. Chuva: Não gosto
2. Lesão: Pior obstáculo
3. 5km: Prova intensa
4. 10km: Prova descontraída
5. Melhor prova: Sem “quebra”
6. Ritmo: Aprendendo a manter
7. Tiros: Treino divertido
8. Pensamento quando corre: Dor é psicológica!

Uma mensagem para aqueles que ainda estão com preguiça de treinar:
Vencer a preguiça é a primeira etapa do desafio pessoal que todos devemos ter de sermos melhores do que fomos ontem. Não só na corrida, mas em tudo. E treinar corrida torna-se um prazer à medida que você colhe os frutos do seu esforço, portanto, partiu treinar!

**Duran é Analista de Sistemas, aluno G5 desde jul/12, completou seus primeiros 21km com pace 5:49/km, e a Meia de Curitiba em jun/13 com pace de 4:47/km. Parabéns pelo empenho, dedicação e muita força de vontade, que venham os 42km!! \o/**

Anúncios

Minha Vida e a Corrida – com Malu Nogas

Confira a segunda edição da “Minha Vida e a Corrida”. Acompanhar depoimentos reais dos nossos alunos e quem sabe não se anima a começar a treinar?!
Malu
Nome: Maria Luiza Nogas
Apelido: Malu
Categoria: 55-59

– Descreva um breve resumo “você x atividades físicas”:
Pratiquei hidroginástica durante 15 anos, mais por necessidade de estar fazendo alguma coisa do que por realmente gostar. Em 2010, parei temporariamente, para elaboração de trabalho de conclusão de curso de uma nova graduação que fiz, e não voltei.

– Como começou a relação “você + corrida”, e quando foi?
Minha relação com a corrida começou dentro de casa, mas eu ainda não sabia. Eu via meu filho sair para treinar, treinar, correr… E quando ele dizia que foi “correr” eu não conseguia imaginar a dimensão do que era uma corrida. Um dia, ele me inscreveu numa caminhada da SMELJ e então, vi as pessoas correndo. Um bando de loucos, pensei. Depois, outra caminhada (do SESC).
Em maio de 2012, para a estreia da Tenda G5, ele me inscreveu no Circuito da Lua Cheia. Eu achava que era para mais uma caminhada. Mas… não tinha caminhada. Foi dada a largada. Minha nora também estava e iniciamos num trote leve. Logo, ela falou que ia acelerar e foi. Eu fiquei para trás. E fui, no maior sufoco. Sentia todo tipo de dor, todo tipo de medo. Até medo de cair ou ser “atropelada” por alguém, pois, por entre as árvores era muito escuro. Para mim, parecia uma boiada desembestada. Enfim, a linha de chegada. E cheguei “viva”. Quando vi o resultado, eu nem era a última da categoria?! O tênis que usei não era de corrida, a calça também não. Como estava muito frio, estava com cacharrel preta por baixo da camiseta. Resumindo: quase morri de calor.
Meu filho falou que eu precisava treinar (mas eu nem estava pensando em continuar). Mesmo assim, comprei um tênis. Consegui fazer um único treino (G5, é claro) e lá fui eu para a próxima Corrida da Lua. Subi uma posição, pareceu-me um sonho.
Consegui fixar um dia de treino por semana e procurava não faltar. Fui melhorando e já não sentia tantas dores. Além da Corrida da Lua mensal, fui timidamente, participando de algumas provas. E o gostinho de querer mais foi tomando conta de mim.
Participar de 08 etapas da Corrida da Lua e conseguir o segundo lugar na categoria foi muito especial.

Malu 2 Foto: Luizz

– Quais suas maiores dificuldades no início?
Misto de medo, insegurança, de achar que já não tinha mais idade para começar e outros detalhes já citados acima.

– O que mudou na sua vida nos últimos 12 meses por causa da corrida?
A Corrida me propiciou mais qualidade de vida. O ambiente livre, parques, bosques, conhecer pessoas, lugares não tem preço. Mais preocupação com meu próprio bem-estar para estar sempre bem para poder correr.

– O que a corrida representa hoje na sua vida?
A corrida representa a oportunidade de vislumbrar novos horizontes, de buscar sempre a melhoria contínua, de não fraquejar diante dos obstáculos e das adversidades, de ousar sonhar com o impossível.

– Qual foi sua primeira prova e o tempo?
51ª etapa do Circuito da Lua Cheia, em 09/05/2012 em 36:15 (ritmo 8:25) – (108º de 137)

– Qual foi a última prova e o tempo?
62ª etapa do Circuito da Lua Cheia, em 24/04/2013 em 25:36 (ritmo 5:57) – (37º de 197)

– Bate pronto:
Ritmo = buscando o equilíbrio
treinos = necessários e indispensáveis
5km = tímidos ainda
10km = meta arrojada
melhor prova = a próxima
clima = temperado
dores = superação
pensamento quando corre = Com a graça de Deus, eu vou conseguir!

– Uma mensagem para aqueles que ainda estão com preguiça de treinar:
Se você está lendo estas palavras, já está no caminho. Mas não fique apenas na curiosidade. Saia do sofá e venha treinar conosco. Eu garanto que sua vida nunca mais será a mesma.

Valeu Malu! Dando sequência a nossa série e falando bonito! É isso aí, TODOS podemos, é só COMEÇAR! Gostou? Deixe um comentário. Se animou? Para de arranjar desculpas e vem treinar com a gente!